Ouro para Garota de Ipanema

10/08/2016

Tom & Vinicius fizeram de “Garota de Ipanema” o segundo Hino Nacional. A música foi gravada em vários idiomas e ganhou interpretações de uma verdadeira constelação de vozes inesquecíveis, de Sinatra e Ella Fitzgerald à diva italiana Mina Mazzini. Dizem que só não foi mais tocada no mundo do que “Yesterday”, dos Beatles. Isso tudo é história com mais de 50 anos corridos, que talvez somando tudo não faz sombra à audiência planetária do furacão Gisele Bündchen naquela já antológica travessia do Maracanã, na abertura desta Olimpíada do Rio. Até aí, todo mundo está careca ou, no mínimo, coroa de saber. Para quem visita o Rio, bacana também é sentir a atmosfera da música. Desde o último verão, o bar onde ela foi composta, na esquina da Vinicius de Morais com a Prudente, colocou na fachada uma placa com a partitura da música. Provavelmente porque o acesso ao interior da casa, onde há uma reprodução original numa parede, aumentou absurdamente com a invenção da selfie. Agora dá pra fazer foto até do outro lado da rua. E bem a propósito, fazendo jus a estes tempos em que imagem é o que mais vende, ao lado do bar também tem a lojinha com  T-shirt da partitura, em várias cores. A turistada adora – corri pra comprar uma - e é muito bom saber que há produtos nossos que eles podem levar sem susto, porque a qualidade da malha é boa, coisa rara em se tratando de souvenir. Mas, o melhor de tudo é ver que os estrangeiros realmente se interessam por nossa cultura, como fez a gigante americana do jornalismo CNN, que designou a jornalista e produtora Flora Charner para resgatar a eterna “Garota de Ipanema”, Helô Pinheiro. E lá foi a musa apresentar o famoso doce balanço a caminho do mar nas fervilhantes areias do Posto 8. Helô e todas as garotas de Ipanema merecem a homenagem, porque realmente não existe coisa mais linda, mais cheia de graça. Medalha de ouro para elas. #OffRio2016  ‪#‎calcadaglobal‬@calcadaglobal

#Rio #Rio2016 #garotadeipanema #music

Comentários:


QUEM SOMOS

Na Calçada Global passam viajantes que se aventuram pela vida, garimpando emoções.
Por Ricardo Medina e André Ricardo Moreira Medina.

Ricardo Medina, o pai, é jornalista, autor e viajante compulsivo. André Ricardo Moreira Medina, o filho, é estudante de Relações Internacionais, fotógrafo e viajante compulsivo hereditário.